Não é segredo que a indústria da construção civil é uma das mais resistentes a mudanças. De acordo com a análise Farmer Review, a situação atual é alarmante: nas últimas duas décadas, a construção foi o setor que menos apresentou aumento na produtividade, ficando atrás da área industrial, serviços e de outros setores da economia. E o problema não se centraliza só no Brasil. No Reino Unido, por exemplo, 36% dos empreendimentos são entregues com pelo menos 3 meses de atraso.

Mas, antes de buscar soluções, é necessário definir quais pontos impedem a modernização da construção civil. Confira 5 problemas que contribuem para a ausência da tecnologia em vários aspectos da construção:

1. Falta de investimentos em todos os processos construtivos

O que foi identificado como uma das principais dificuldades é a sua relutância da indústria da construção em direcionar seu tempo e seus recursos financeiros para a inovação. A necessidade de adotar novas técnicas é mais aparente do que nunca – isso impulsionaria todo o processo de gerenciamento do projetos e ainda levaria à criação de uma força de trabalho mais hábil e produtiva.

2. Falta de profissionais bem treinados

Com base nas estatísticas da Farmer Review, haverá uma queda de 20 a 25% no número de trabalhadores da construção civil nos próximos 10 anos. O fato de que grande parte desses trabalhadores não receberam treinamento adequado torna as coisas ainda piores. Essa deficiência envolve tanto as técnicas atualmente utilizadas quanto tecnologias inovadoras que já têm sido utilizadas pelas empresa

O futuro da construção civil pode ser preocupante se não voltarmos nossa atenção para quem trabalha no setor.

Está gostando deste artigo?

Assine nossa newsletter e receba conteúdos como esse direto no seu e-mail

Leia também: Comunicação em projetos de construção: por que você deve se preocupar

3. Sérias perdas de produtividade

Como uma extensão das duas questões anteriores, os níveis de perdas de produtividade na construção são enormes. Perdas de produtividade são o resultado de uma série de questões diferentes – desde a incapacidade de uma equipe de projeto em manter o plano inicial até o desperdício de tempo e recursos com uma comunicação confusa e mal organizada.

Como conseqüência, a produtividade dentro e fora dos canteiros de obras cai  e vínculo entre a indústria e seus clientes é prejudicado.

4. Pouco esforço para mudar

Manter-se preso aos velhos hábitos pode ser perigoso. Esse parece ser um grande problema na construção civil, onde quase todos parecem presos às mesmas práticas de décadas e décadas atrás. Dessa maneira, é difícil possibilitar o surgimento de uma nova realidade dentro da indústria.

Além disso, a ideia de que tudo permanece o mesmo acaba criando obstáculos entre o que as empresas oferecem e que os clientes precisam e querem.

Leia também: 8 princípios de gestão importantes para empresas da construção civil

5. Falta de vontade em ser o primeiro a fazer a mudança

Para tornar as coisas ainda piores, parece que essa inércia continuará enquanto não houver ninguém decidido a conduzir essa mudança ou, no mínimo, para provocar alterações nas estruturas existentes. Em parte, deveria ser responsabilidade do Estado tomar as rédeas da situação e oferecer incentivos para levar a construção civil para um futuro orientado para a tecnologia.

Em outras palavras, há uma forte necessidade de ação sincronizada contra os padrões tradicionais da indústria que ainda prevalecem.

 

Com informações de GenieBelt