Faltam menos de 80 dias para o início das Olimpíadas 2016, que terá sua abertura no dia 5 de agosto, e nem todas as instalações estão prontas para receber o evento. Ao todo são mais de 20 construções, reformas e adaptações, com gastos que ultrapassam R$ 36,7 bilhões.

Diversas construções foram projetadas para que o Rio de Janeiro possa receber as Olimpíadas de 2016. Os eventos foram distribuídos em quatro regiões da cidade, Barra, Deodoro, Maracanã e Copacabana.

Listamos as 6 construções que ainda não foram concluídas. Com exceção da Vila dos Atletas (também conhecida como Cidade Olímpica), todas as obras que ainda estão em andamento fazem parte do complexo do Parque Olímpico, que fica na região da Barra da Tijuca e será o palco principal das competições durante as olimpíadas de 2016, recebendo 16 modalidades olímpicas e 9 paralímpicas.

Com uma área total de 1,18 milhão de metros quadrados, a conclusão das obras do Parque Olímpico era prevista para o primeiro trimestre de 2016. Em 2008, o custo estimado para o empreendimento era de R$ 1,5 bilhão, mas hoje, o montante total já passa dos R$ 2,2 bilhões.

Velódromo Olímpico

velodromo-Olimpíadas 2016

Está gostando deste artigo?

Assine nossa newsletter e receba conteúdos como esse direto no seu e-mail

O Velódromo Olímpico faz parte do conjunto de obras do Parque Olímpico e é a mais atrasada para o evento, apenas 83% concluído. A previsão de entrega da obra era para o quarto trimestre de 2015. Por conta desse atraso, o evento teste, que deveria ter acontecido no mês de abril, foi cancelado. O governo federal financiou toda a obra, que soma um total de R$ 143,6 milhões (R$ 137,7 milhões para a construção, mais R$ 5,9 milhões para a manutenção).

Arenas Cariocas

Arenas Cariocas-Olimpíadas 2016

Ao todo são 3 arenas, que vão receber diferentes modalidades esportivas e estão localizadas dentro do Parque Olímpico. As três tinham previsão de término para o terceiro trimestre de 2015, mas a Arena 2, única não concluída, mas já inaugurada, ainda está na fase final. Os próximos passos são a fixação das portas dos compartimentos e instalação das louças e metais.

No total, foram gastos R$ 1,15 bilhão no projeto das 3 arenas.

A Arena Carioca 1 é uma estrutura permanente que vai sediar os jogos de basquete. A Arena 2 recebe judô e luta olímpica e a Arena 3 vai contar com competições de taekwondo e esgrima, que depois dos jogos vai se tornar um Ginásio Experimental Olímpico (GEO) e receberá 850 alunos em tempo integral.

Hotel e MPC – Centro Principal de Mídia

MPC e Hotel-Olimpíadas 2016

Este é o centro voltado para a mídia escrita, que junto com o Centro Internacional de Transmissão (IBC) irá receber os profissionais nacionais e internacionais credenciados para fazer a cobertura do evento. O espaço irá funcionar 24 horas por dia durante os jogos. O Hotel 4 estrelas, que conta com 440 quartos, será para hospedagem exclusiva dos jornalistas e assessoria de imprensa.

O MPC tem um espaço de 27 mil metros quadrados e o seu custo de R$ 1,7 bilhão faz parte da parceria público-privada que inclui o IBC, as Arenas Cariocas 1, 2 e 3, o Hotel e a infraestrutura do Parque Olímpico. A obra já está no seus acabamentos finais, mas a previsão de conclusão era para o ano de 2015.

Centro Olímpico de Tênis

Centro Olímpico de Tênis - Olimpíadas 2016

Ao todo, 16 quadras serão construídas, numa área total de 90 mil metros quadrados. Após as Olimpíadas, apenas 9 das quadras devem ser mantidas. As obras começaram em novembro de 2013 e a previsão para conclusão era para o quarto trimestre de 2015, mas até agora, apenas 90% está finalizado. Os gastos com a instalação já ultrapassam os R$ 190,8 milhões.

eBook: Registro Fotográfico na Construção Civil

Estádio Aquático Olímpico

Estádio Aquático Olímpico - Olimpíadas 2016

O Parque Aquático Maria Lenk não atende a todas as competições olímpicas, por isso optaram por construir o Estádio Aquático, que conta com 2 piscinas (1 para competição e outra para aquecimento) e capacidade para 13 mil torcedores. A construção é temporária e todas as estruturas são desmontáveis. Após os jogos, as estruturas servirão para a construção dois ginásios, que serão instalados em duas outras cidades ainda a ser definidas.

Apesar de ainda não concluída, a obra já foi inaugurada, às pressas, no mês de abril, para sediar o Troféu Maria Lenk. A competição, uma das mais importantes do calendário nacional, foi fechada ao público e disputada em meio a obras na arena, o que limitou até mesmo o uso de banheiros. O custo total da obra foi de R$ 217,1 milhões para a construção, mais R$ 8,2 milhões para manutenção.

Vila dos Atletas – Cidade Olímpica

Vila dos Atletas - Olimpíadas 2016

Aqui é onde os atletas que virão participar das Olimpíadas 2016 irão se hospedar. A construção conta com 31 prédios, mais de 10 mil quartos e tem capacidade para receber 18 mil pessoas. Locais como restaurantes, recreação (mesa de sinuca, jogos eletrônicos e outros), academias, clínica médica e centro religioso estarão disponíveis. Além de serviços de bancos, correios, cabeleireiro, cafés, floriculturas e lan houses.

As obras são de responsabilidade da iniciativa privada e já estão com mais de 97% concluídas. O gasto total previsto foi de R$ 2,9 bilhões de reais. Após o evento, o local se tornará um condomínio residencial.

Neste outro artigo, o Blog Construct apresenta os 4 principais motivos que geram atraso na entrega da obra. Confira!