A reciclagem de resíduos da construção civil não é tarefa simples e exige imensa capacidade de planejamento por parte dos profissionais envolvidos. Essa preocupação não é uma questão de escolha, já que a resolução do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) de número 307 de 2002 estabelece a obrigatoriedade de apresentação do Plano de Gerenciamento de Resíduos, o famoso PGRS, conforme analisamos em post anterior.

Como a legislação define, a prioridade deve ser a não geração de resíduos nos canteiros de obras, mas, ainda que economize recursos, a atividade naturalmente deixa sobras. As empresas devem ser capazes então de dar o destino apropriado para essas sobras, sendo a reciclagem o mais recomendado para a preservação do meio ambiente.

Listamos abaixo sete dicas para auxiliar você, gestor de projetos, nessa difícil tarefa de organizar o canteiro de obras e mobilizar os colaboradores para fazer a reciclagem de resíduos da construção civil.

1. Organize a coletiva seletiva na obra

Os resíduos devem ser separados respeitando suas características ou especificidades. Da mesma forma que ocorre em um condomínio residencial, o material deve ser descartado corretamente já no momento de direcionamento para o lixo. Essa separação ao descartar agilizar o processo e evita qualquer tipo de retrabalho.

2. Mobilize seus funcionários para reciclagem de resíduos da construção civil

A reciclagem de resíduos da construção civil é responsabilidade de toda a empresa. Não faz sentido apontar como responsabilidade de determinado departamento ou profissional. Todos os colaboradores devem se conscientizar da necessidade não apenas do ponto de vista legal como também moral – dever de pensar na preservação do meio ambiente para gerações futuras – para que as ações saiam conforme planejadas.

Está gostando deste artigo?

Assine nossa newsletter e receba conteúdos como esse direto no seu e-mail

3. Classifique os Resíduos da Construção Civil (RCCs)

A caracterização dos RCCs é tão importante que já foi tema de post em nosso blog. O trabalho é feito em cada etapa da obra e objetiva mostrar para o gestor os principais resíduos gerados e a destinação mais adequada para eles. Materiais como aço de construção, alumínio, arame, fio ou cabo de cobre, perfis metálicos e vidro estão na classe B, de acordo com a resolução 307 do CONAMA, podendo assim ser reciclados.

Reutilizar esse material é interessante do ponto de vista financeiro. De forma geral, levando em conta empresa que recicle considerável volume e já conte com fornecedora do serviço, o empresário gastará menos para reciclar do que para adquirir todos esses insumos. Isso nem sempre acontece. Com insumos de baixo valor como brita e areia, o processo se inverte. Torna-se mais caro reciclar do que comprar os insumos.

4. Tenha paciência com os documentos burocráticos

Não basta montar a estrutura física para reciclar ou gerenciar os resíduos da sua empresa de construção civil. Você terá de fechar acordos e contratos, além de obter licenças, autorizações e demais documentos que permitam a utilização das sobras dos canteiros de obras.

Estará dessa forma em contato com o Poder Público e outras empresas para viabilizar o processo de reciclagem dos resíduos gerados por sua empresa. O relacionamento com esses agentes é necessário para que as coisas sejam feitas da forma correta.

5. Planeje os locais de armazenamento dos resíduos

A preocupação deve ser desenvolver procedimentos de seleção, acondicionamento, despacho e retirada dos resíduos da obra. Cada pavimento da obra deve conter recipiente para coleta seletiva identificado conforme o material a ser selecionado. No térreo, é imprescindível a instalação de baias para acumular os resíduos coletados. O código de cores adotado por coletores e transportadores para os diferentes tipos de resíduos é dado pela resolução CONAMA de número 275 de 2001, conforme as informações a seguir: azul para papel e papelão; vermelho para plástico; verde para vidro; amarelo para metal; preto para madeira; laranja para resíduos perigosos; branco para resíduos ambulatoriais e de serviços de saúde; roxo para resíduos radioativos; marrom para resíduos orgânicos e cinza para resíduo geral não reciclável ou contaminado não passível de separação.

6. Pense em como transportar os resíduos

A retirada dos resíduos selecionados para reciclagem e demais destinos deve ocorrer com frequência. Evite o acúmulo das sobras no canteiro de obras. Organize-se para que isso nunca aconteça. Por isso, um plano de logística eficiente é parte fundamental do processo. Não deixe também de verificar as credenciais da empresa de transporte a ser contratada.

7. Treine todos os envolvidos  

O investimento em treinamento dos profissionais envolvidos na reciclagem de resíduos da construção civil evitará erros e acidentes de trabalho. Também é necessário capacitar os funcionários que vão atuar na transferência dos resíduos para as baías.