Os desperdícios e a perda de materiais na obra são os principais vilões dos gastos extras nos canteiros: ao final da construção, estes excessos podem chegar a 30% do total empenhado. No Brasil, o setor da construção tem perda média total de 5%.

Na construção civil, os desperdícios já são parte da rotina – no entanto, é possível reduzir (e muito!) as perdas durante os trabalhos no canteiro de obras. Entenda melhor a seguir:

O que são as perdas?

As perdas envolvem tudo aquilo que exige tempo e dinheiro sem agregar valor ao produto final. Elas podem ser inevitáveis –  quando o investimento necessário para a redução é maior do que a economia gerada – ou evitáveis, que são consequência de processos de má qualidade e os custos gerados são bem maiores do que os custos da prevenção.

A ausência de um bom planejamento, a falta de organização no canteiro de obras e o uso de mão de obra sem preparo ou treinamento são fatores que contribuem para a perda de materiais.

Assim, as perdas podem ser geradas durante a produção, transporte, construção, estocamento, movimentação ou em acidentes e roubos. Em todos esses casos, é interessante perceber que a mão de obra é crucial para que os desperdícios aconteçam ou não. Além disso, grande parte dessas perdas podem ser evitadas na rotina da construção civil.

Está gostando deste artigo?

Assine nossa newsletter e receba conteúdos como esse direto no seu e-mail

Treinamento

As construtoras com maiores níveis de produtividade e aproveitamento de materiais passaram a investir no treinamento sistemático de seus profissionais. Isso inclui o ensino de técnicas construtivas mais sustentáveis – por exemplo, no corte de peças para acabamento, na produção de concreto e na utilização de argamassa, que endurece rápido e tem sua qualidade facilmente perdida em qualidades ruins de armazenamento.

Dessa maneira, os trabalhadores da obra estarão aptos a utilizar os materiais e equipamentos de forma mais consciente e econômica, aplicando-os com foco no rendimento e na redução das perdas.

Leia também: O que é Gestão de Qualidade Total e como adotá-la na construção civil?

Armazenamento

É bastante comum encontrar canteiros de obras desorganizados, onde os materiais e máquinas são estocados sem nenhum critério ou cuidado. Nesse processo, boa parte dos materiais perde suas características originais, quebra, resseca e se torna impróprio para aplicação.

Por isso, é fundamental organizar o layout do canteiro de obras e o armazenamento de acordo com o tamanho, tipo, quantidade e local de utilização de cada material. Sacos de cimento, por exemplo, devem ficar próximos do local de utilização, já que o transporte para outro lugar tomaria tempo extra dos funcionários. Confira aqui algumas dicas sobre armazenamento de materiais que podem na organização das obras.

Reciclagem de resíduos

Muitas construtoras já contam com um programa próprio para reciclagem de resíduos. Assim, todas as sobras de tijolos, gesso, cimento e peças de metal são reutilizados e transformados novamente em matéria-prima, que pode ser utilizada em diversas etapas da construção, desde a fundação até o piso.

Planejamento

Em nível de gerenciamento, os profissionais responsáveis pela gestão de projetos devem ficar atentos a itens como logística, planejamento, orçamento e medidas preventivas aos desperdícios. Estabelecer um teto máximo para os desperdícios em campo e planejar implantação da capacitação dos profissionais contratados pode ser um bom começo. Menos perdas significam menos gastos extras, menos viagens com o transporte de resíduos, menos pedidos de materiais e, a longo prazo, um empreendimento mais rentável e eficiente para a própria construtora.

 

Leia também: Gestão de projetos: 5 dicas para lidar com problemas e imprevistos