Um cronograma de obras mal estruturado pode trazer sérios problemas para a construtora – principalmente o atraso na entrega do empreendimento. No entanto, apesar de parecer um bom negócio, a entrega antecipada de imóvel também reflete a falta de planejamento e pode trazer problemas jurídicos para a empresa. Entenda:

Benefícios

De maneira geral, a entrega antecipada de imóveis é vista como uma estratégia positiva, pois ajuda a garantir a satisfação do cliente e melhorar a credibilidade das construtoras no mercado.

As empresas com planejamento detalhado e cronograma bem executado conseguem prazos melhores para lidar com imprevistos no canteiros de obras, como a falta de equipamentos e de mão de obra. Assim, é possível passar por etapas mais complicadas sem que o prazo de entrega do imóvel seja prejudicado – em casos onde não acontecem contratempos graves, o empreendimento pode até ser entregue antes do previsto.

Problemas e conflitos

Apesar de parecer benéfica, a entrega antecipada do imóvel pode gerar processos contra a construtora. De acordo com Leandro Pacífico, presidente da Associação Brasileira dos Mutuários de Habitação (ABMH), se a construtora antecipar a entrega e a data para a parcela final, ela não pode pressionar o cliente a pagá-la, simplesmente porque o prazo ainda não venceu. Dessa maneira, é ideal inserir no contrato com os clientes a relação entre o pagamento a ser realizado e a possível vinculação com a entrega do imóvel. Assim, a empresa se resguarda para não ser alvo de ações judiciais movidas por clientes que não desejam receber as chaves do imóvel antes da data prevista.

Além disso, a entrega antecipada também significa que o caixa da empresa será esvaziado antes do previsto – o ônus pode chegar a cerca de 1% do custo da obra por mês de antecipação. No entanto, empresários do setor ainda acreditam que a prática valha a pena. “Programamos nosso fluxo de caixa para que as obras estejam prontas de seis a oito meses antes do previsto. O custo é maior por desembolsar antes? Sim, mas o risco é bem menor, então compensa”, explica Milton Bigucci Junior, diretor técnico da construtora M. Bigucci.

Está gostando deste artigo?

Assine nossa newsletter e receba conteúdos como esse direto no seu e-mail

Leia também: Valle Ribeiro conclui empreendimento imobiliário 2 meses antes do prazo previsto

No caso de obras do programa Minha Casa, Minha Vida, o risco do caixa vazio não ocorre, já que os aportes financeiros são feitos durante o período de execução do empreendimento. Segundo Sérgio Lavarini, diretor de relações institucionais da MRV, quanto mais rápido os imóveis são entregues, mais rápidos a empresa recebe o dinheiro da instituição responsável e, assim, o fluxo de caixa funciona de maneira mais ampla e financeiramente segura.

Estratégias para a entrega antecipada

O segredo para a entrega antecipada de imóveis está no planejamento. É necessário organizar o cronograma e os prazos de acordo com as possibilidades financeiras e de execução da empresa. Uma sugestão é a prática de antecipar o início das obras em alguns meses, garantindo uma margem de erro para possíveis contratempos e possibilitando a entrega do empreendimento antes do prazo.

Já a MRV Engenharia investiu em planejamento e capacitação da mão de obra para garantir mais produtividade no canteiro de obras. De acordo com o Portal Pini, atualmente a empresa trabalha com margens de antecipação de entrega de um mês até 14 meses. Só em 2013, foram 20 obras entregues antes do prazo previsto. Já a construtora A.Yoshii apostou na simplificação da gestão interna da empresa, contando com 90% de mão de obra direta para a execução de todos os serviços dentro e fora do escritório.