As etapas de uma obra constituem os elementos necessários para a construção de um empreendimento, partindo desde os estudos sobre a viabilidade do negócio até a entrega das chaves aos clientes.

De maneira geral, a coordenação dessas etapas fica por conta do gestor de projetos, que é auxiliado pelo engenheiro responsável da obra para a execução efetiva dos trabalhos. São eles os responsáveis pela avaliação de riscos e pelo andamento das obras dia após dia.

No entanto, a rotina da construção civil é cheia de imprevistos. Para evitá-los, é necessário executar algumas etapas da obra com atenção máxima para que erros não aconteçam – e caso aconteçam, para que sejam corrigidos a tempo de evitar acidentes e gastos extras.

Confira abaixo 5 etapas de uma obra onde erros não podem acontecer:

1. Cálculos

Os cálculos são fundamentais para a execução de todas as etapas de uma obra. Antes de fazer qualquer projeto, pedido de materiais ou contratação de mão de obra, é necessário realizar os cálculos estruturais de maneira extremamente detalhada e meticulosa. Afinal de contas, cálculos incorretos podem causar acidentes ao empreendimento depois de concluído e ainda no canteiro de obras, gerando danos aos clientes, funcionários e para a própria construtora.

Está gostando deste artigo?

Assine nossa newsletter e receba conteúdos como esse direto no seu e-mail

Atualmente, existem diversos softwares e programas que auxiliam na realização de cálculos – falamos sobre alguns deles aqui. Com qualquer alteração nas dimensões, formas, aplicações e posicionamentos dos elementos construtivos, os cálculos precisam ser revistos e as alterações devem ser indicadas no escopo do projeto.

Leia também: 7 eBooks gratuitos para engenheiros civis

2. Orçamento

Apesar de super importante, o orçamento de obras é uma das etapas mais negligenciadas pelos profissionais e pelas empresas. Exemplo disso são os projetos superfaturados ou paralisados porque extrapolaram o orçamento inicial das construtoras.

Para elaborar um bom orçamento, o profissional responsável deve saber, dentre outras coisas, quais são os materiais necessários, calcular a taxa de perda para cada um deles, conhecer o CUB (Custo Unitário Básico) do estado em que a obra está localizada, calcular o custo com a mão de obra e fazer incontáveis pesquisas de preço de equipamentos, matérias-primas e serviços terceirizados necessários.

O nível de detalhamento, as ferramentas e as metodologias utilizadas para realizar o orçamento dependem do tipo de projeto, do contrato com o cliente e com a execução dos negócios da empresa.

3. Projeto de engenharia

A elaboração de um bom projeto é fundamental que os profissionais envolvidos compreendam os detalhes do empreendimento a ser construído. O projeto de engenharia deve envolver itens como estudo de viabilidade do empreendimento, o desenho efetivo das plantas em diferentes perspectivas, detalhamentos e documentações.

É importante lembrar que o projeto ainda precisa estar em conformidade com o código de obras da cidade onde será construído e ser aprovado pela prefeitura, processo que pode levar de 6 a 12 meses.

4. Planejamento

Segundo uma matéria da Revista Exame em 2015, apenas 1/5 do total do tempo de obra é dedicado ao planejamento. Em países como Japão e Alemanha, por exemplo, esse tempo passa para 40% e 50%, respectivamente. E sabemos que os avanços e a qualidade da construção civil destes países é exemplo para o mundo inteiro.

Um planejamento bem executado ajuda a manter imprevistos e a própria execução do projeto sob controle. Com o planejamento, é possível prever os prazos e custos de cada etapa de uma obra, evitando atrasos, desperdícios de materiais e de recursos pela construtora. Por isso, nada de imprevistos: se você deseja evitar problemas e impasses no canteiro de obras no futuro, invista em um planejamento completo e rigoroso bem antes dos trabalhos em campo começarem.

Leia também: Imprevistos em obras: como lidar com 5 situações comuns na construção civil

5. Estruturas

A estrutura é o que garante a integridade física do edifício, suportando todas as cargas que atuam nele – como o peso de pessoas, móveis e o seu próprio peso – e transmitindo-as para as fundações. transmitindo-as para as fundações. Por isso, é fundamental que o processo de execução dos componentes estruturais seja realizado dentro de padrões rigorosos de segurança e em total conformidade com o projeto executivo.

Esta etapa da obra está intimamente ligada à realização correta dos cálculos. Caso exista alguma divergência entre os cálculos e as estruturas sendo erguidas, ou se uma quantidade inferior de materiais for utilizada, o empreendimento pode apresentar problemas de estabilidade e resistência no futuro. O tempo gasto nessa etapa pode chegar a 40% do tempo total da obra.

 

O que você achou sobre este artigo? Concorda com a importâncias dessas etapas de uma obras? Compartilhe sua opinião nos comentários abaixo!