Índices positivos, crescimento do setor, mercado imobiliário e mais: confira as principais notícias da semana e fique em dia com as novidades na construção civil.

Construção civil tem queda menos intensa em março, mostra pesquisa

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou que o índice do nível de atividade da Construção Civil atingiu 44,5 no mês de março. Foi o terceiro crescimento consecutivo no indicador – em comparação com fevereiro, o índice cresceu 4,2 pontos.

Oferta de vagas aumenta na construção civil no primeiro trimestre do ano

O número de contratações no setor aumentou durante o primeiro trimestre de 2017. O índice passou de um saldo de menos 217 vagas para um positivo de mais 18 apenas nos primeiros meses do ano.

Cenário muda e construção civil volta a viver bom momento

Dentro do Índice Nacional de Custo da Construção Civil, o percentual relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços apresentou redução de 0,04%. Os dados foram fornecidos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). De acordo com os empresários do setor, o momento é oportuno para quem deseja adquirir imóveis ou realizar investimentos na indústria.

Índice de custo da construção tem queda de 0,08% em abril

O Índice Nacional de Custo da Construção caiu -0,08% em abril, valor abaixo do registrado em março (0,36%). Na pesquisa feita em todo o país, seis capitais apresentaram desaceleração em suas taxas: Brasília, Belo Horizonte, Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo.

Está gostando deste artigo?

Assine nossa newsletter e receba conteúdos como esse direto no seu e-mail

Construção prevê a venda de 3 mil imóveis na RMF em oito meses

Para conseguir vender cerca de 3 mil imóveis até o fim deste ano na região metropolitana de Fortaleza (CE), a construção civil aposta em serviços diferenciados – como descontos nas primeiras prestações e a isenção de condomínio por até um ano. A expectativa é chegar até o final de 2017 com no máximo 7 mil imóveis em estoque.

Análise: o trabalho de migrantes é vital para a indústria da construção britânica

Depois da saída do Reino Unido da União Europeia em março deste ano, a Federação de Profissionais da Construção (FMB) apelou para que o Governo reconheça a importância do trabalho migrante para o setor da construção civil. Somente em Londres, existem mais de 157.000 trabalhadores da construção civil não-britânicos que constituem quase metade da força de trabalho da indústria na capital.

Antes da saída da União Europeia, 60% das pequenas empresas de construção já enfrentavam dificuldade em contratar profissionais – e esse quadro pode piorar, agora que o Reino Unido aboliu a livre circulação de pessoas pelo seu território. Os representantes da FMB convocaram “todos os principais partidos políticos a incluir políticas positivas no que diz respeito à imigração, qualificação e aprendizagem nos seus próximos manifestos”. Artigo em inglês.

 

Aproveite também para conferir o post mais lido da semana: 5 problemas de fácil resolução que afetam a produtividade na obra.

 

Nadine Alves

Nadine Alves
Publicitária, fotógrafa e apaixonada pelo mundo da engenharia, arquitetura e inovação.