Projetos de arquitetura para famílias de baixa renda, efeitos da greve dos caminhoneiros no setor da construção e muito mais: confira as principais notícias e fique por dentro das novidades na construção civil.

Novo Código de Obras e Edificações está disponível para download

Está disponível para download a nova versão ilustrada do Código de Obras e Edificações (COE), produzida pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento da Prefeitura de São Paulo (SMUL – PMSP).

Agora, é possível visualizar o texto da lei e o decreto de forma mais intuitiva. O COE também apresenta a Portaria, que estabelece a documentação necessária e o padrão de apresentação para projetos, modelos de plantas do Projeto Simplificado e diagramas explicativos dos processos de análise de pedidos.

A nova versão do Código também conta com um glossário, que traz o significado de diversos termos técnicos e facilita a interpretação por profissionais e estudantes. Você pode fazer o download gratuitamente aqui.

Empresários da construção avaliam efeitos da greve de caminhoneiros

Segundo estimativa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o setor da construção civil perdeu mais de R$ 5 bilhões durante os dias de paralisação dos caminhoneiros nas estradas.  Em Santa Catarina, por exemplo, 56% das empresas da indústria e construção foram afetadas diretamente pelo movimento. 41% delas estimam prejuízo de até 10% no faturamento do mês, e outros 22% acreditam que o prejuízo será superior a 30%.

Está gostando deste artigo?

Assine nossa newsletter e receba conteúdos como esse direto no seu e-mail

A pesquisa também mostrou que, por conta da greve, 52% das obras do setor foram paralisadas por falta de abastecimento em itens como cimento, concreto e argamassa. A expectativa da CBIC é de que o setor ainda leve de duas a três semanas para conseguir retomar o ritmo normal das atividades.

Emprego no setor da construção civil volta a ter resultado positivo, aponta Dieese

De acordo com um balanço do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o emprego formal no Setor da Construção Civil no estado do Pará voltou a crescer. No mês de abril, foram 2.983 admissões contra 2.699 desligamentos, gerando um saldo positivo de 284 postos de trabalho.

Em toda a região norte, o saldo foi de 643 novos postos de trabalho, resultado de 5.676 admissões contra 5.033 demissões também no mês de abril, gerando um crescimento de 0,53%.

Com greve, venda de materiais de construção no varejo cai 9%

As vendas de materiais de construção no varejo em maio caíram 6% em comparação com o mês de abril. De acordo com o levantamento realizado pela Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), a paralisação dos caminhoneiros nos últimos 10 dias do mês de maio acabou afetando o setor de forma negativa.

De acordo com o presidente da Anamaco, “até o início da greve, as vendas vinham 7% acima das registradas em abril, mas o atraso na entrega – tanto de estoques das lojas quanto de compras ao cliente final – acabou trazendo problemas para o bom funcionamento do nosso setor”. Pelo menos 90% das lojas de materiais de construção foram prejudicadas de alguma maneira pela greve dos caminhoneiros, resultando em queda de 40% nas vendas do período em algumas.

Livraria virtual da construção civil tem duas novas publicações

A livraria virtual do Sinduscon-MG está lançando duas novas publicações: a cartilha “Contratos de Empreitada na Construção” e a “Cartilha para Registros de Incorporações Imobiliárias e Condomínios”.

A primeira publicação tem o objetivo de promover a melhoria na utilização dos recursos disponíveis em um contrato, a eliminação de duplicidades de custos e responsabilidades, abordando temas como seguros, empreitadas sob negociação e diretrizes para a criação de cláusulas. Já a segunda cartilha propõe a uniformização das práticas que envolvem as diferentes modalidades de registros em cartórios, sendo um primeiro passo para que o setor da construção se alinhe com os cartórios para o registro de edifícios residenciais e comerciais. Você pode adquirir as publicações clicando aqui.

550 famílias de baixa renda receberão serviços de arquitetura e engenharia gratuitos

Em Brasília, cerca de 550 famílias de baixa renda irão receber, no próximo semestre, serviços gratuitos de engenharia e urbanismo. Além do projeto inicial, elas também terão acesso às obras necessárias para melhorar suas residências. As intervenções realizadas devem ter até 50 metros quadrados e podem custar até R$13,5 mil.

Para ter acesso ao benefício, é preciso comprovar renda familiar de no máximo 3 salários mínimos, estar em área passível de regularização e morar há pelo menos 5 anos em Brasília. Das 550 famílias, 8% das vagas serão destinadas a pessoas inscritas em cadastros sociais de programas da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

O candidato ao benefício recebe a visita de um assistente social e de um arquiteto, que fazem um relatório sobre a moradia e avaliam se ela se encaixa nas regras do programa. A iniciativa faz parte do Projeto Na Medida, um dos cinco eixos do Habita Brasília, que prevê auxílio técnico em serviços de arquitetura e engenharia para pessoas de baixa renda.

Leia também: People Analytics: O que é e como aplicar o método na sua empresa de Construção?