Recuperação do setor, financiamento de imóveis e mais: confira as principais notícias da semana e fiquem em dia com a novidades na construção civil:

Construção civil em Minas Gerais dá sinais de melhora

Uma pesquisa realizada pelo Sinduscon-MG apontou que o índice de atividade da Indústria da Construção do estado apresentou melhora pelo segundo mês seguido. Em julho, o registro foi de 41,6 pontos, enquanto em junho foram 40,6 pontos. O índice de compras de insumos e matérias-primas aumentou 4,7 pontos, registrando 45,7 pontos no mês de agosto.

Os últimos dados divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) apontaram 658 novas vagas de emprego no setor no mês de agosto em Minas. “Ainda é pouco frente ao saldo de 16 mil demissões no ano, mas representa um sinal de melhora”, afirma  Daniel Furletti, coordenador sindical do Sinduscon-MG, Daniel Furletti.

Casamento coletivo beneficia 50 casais da construção civil

Em Pernambuco, uma iniciativa inusitada beneficiou trabalhadores da construção civil no estado. O Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil e Pesada de Pernambuco a Universidade Salgado de Oliveira e Sinduscon/PE realizaram um casamento coletivo exclusivo para 50 casais cujo um dos cônjuges fosse empregado no setor, com direito a casamento religioso e civil, fotos, vestido e maquiagem para as noivas.

De acordo com a presidente do Sindicato, Dulcilene Morais, o objetivo da ação é proporcionar a realização de um sonho aos trabalhadores do setor, que muitas vezes não têm condições financeiras de arcar com um casamento. “Essa ação solidária também tem o intuito de regularizar uniões estáveis, a fim de facilitar o acesso a pensões, por exemplo”, contou ela.

Está gostando deste artigo?

Assine nossa newsletter e receba conteúdos como esse direto no seu e-mail

Setor de construção vê restrição em financiamento de usados como entrave à recuperação

A Caixa Econômica Federal reduziu o teto de financiamento para imóveis usados. Para os empresários do setor imobiliário e de construção, a medida despertou preocupações, já que poderia influenciar negativamente na recuperação econômica da indústria.

No dia 25 de setembro, a instituição anunciou a diminuição do limite para imóveis usados a 50% do valor do bem em questão. A redução do crédito para os produtos ofertados pela construção civil é vista como negativa, já que as construtoras ainda enfrentam dificuldades para concluir obras em andamento e vender imóveis “encalhados” pela crise, e ainda são poucas as que se arriscam em lançar novos empreendimentos.

Green Building é 10% do PIB da construção civil e atrai investimento de players nacionais

De acordo com o Green Building Council (GBC) Brasil, as construções sustentáveis já representam cerca de 10% do PIB da construção civil brasileira. A tendência é que este índice aumente, já que cada vez mais construtoras e fornecedores têm apostado em práticas sustentáveis na construção de empreendimentos, que se tornam mais eficientes e rentáveis.

Segundo o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável, de toda a matéria prima que a construção civil extrai da natureza, somente 20% a 50% é consumida, o que resulta em um alto nível de desperdícios e geração de resíduos, frequentemente descartados de forma inadequada.

Custo da construção civil fica em 0,14% em setembro após 0,40% em agosto

De acordo com a pesquisa da Fundação Getúlio Vargas – responsável pela captação do Índice Nacional do Custo da Construção (INCC) – o setor sofreu uma ligeira queda entre os meses de agosto e setembro, passando de 0,40% para 0,14%. Em relação a Materiais, Equipamentos e Serviços houve elevação, o índice cresceu de 0,20% para 0,37% neste mês.

 

Leia também: Falta de comunicação nas empresas: como resolver esse problema?